quarta-feira, 12 de julho de 2017

13o. Mundo de Mulheres e Inclusiva Ewelin


Acima temos o banner bilíngue do evento: 13o. Mundo de Mulheres e 11o. Fazendo Gênero: Transformações, Conexões e Deslocamentos (letras em lilás). À esquerda do título temos o símbolo, com fundo em lilás e letras brancas de forma maiúsculas MM - Florianópolis, de/30/07 a 04/08 de 2017

Entre 30 de julho e 4 de agosto de 2017 em Florianópolis, SC, Brasil, no campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). 13º Congresso Mundos de Mulheres (MM) – um encontro internacional e interdisciplinar de e sobre mulheres – que acontecerá conjuntamente ao Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 (FG), acessível na página: http://www.fazendogenero.ufsc.br/wwc2017/  
A temática que norteará o encontro é "Transformações, Conexões, Deslocamentos". Com isso, pretende alargar esse lugar de diálogo para uma perspectiva mundial, um espaço onde se possa ouvir outras vozes, novas propostas, valorizar saberes, ampliar horizontes de estudo e de ativismo. Incluindo um simpósio sobre a mulher com deficiência.
Ewelin Canizares, integrante do grupo Inclusivass, vai participar do Fórum de Debates, apresentando o Projeto Todas são Todas, sobre violência contra as mulheres com deficiência. Ewelin é mestre em química, atuante da área de meio ambiente, que possui deficiência física, portadora de polineuropatia, e atua desde 2015 no grupo. Os fóruns de debate são uma oportunidade única para as ativistas do movimento feminista, pois além de apresentar o trabalho desenvolvido por cada entidade, possibilita trocas de conhecimentos e de experiências, em várias áreas de interesse para as mulheres.

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Filme CAROL no 11º Mostra Cinema e Direitos Humanos de Porto Alegre


Filme CAROL faz parte da mostra e esta sendo exibido em 26 estados e agora chega em Porto Alegre no 11º Mostra Cinema de Direitos Humanos.
Filme de Mirela Kruel conta a história de vida de Carol que aos 17 anos foi vitima de violência que a deixou cadeirante, Carol teve que vencer as marcas desta violência e seguir em frente, hoje é militante na causa.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:
Entrada Franca
Classificação:14 anos
Dia:07/06/17
Hora:16:00
Local: Cinemateca Capitólio (R. Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico)

Dia:09/06/17
Hora: 16:00 
Local: Cinemateca Capitólio (R. Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico)

Dia:10/06/17
Debate com presença de Mirela Kruel e Carol
Hora:17:00

Descrição da imagem:


Imagem retangular .da capa do filme “CAROL”, Sob um fundo que mostra o lago Guaíba, na orla da Praia de Belém Novo, temos no topo o texto, centralizado e em letras brancas pequenas, “Secretaria do Estado da Cultura”, “apresenta”. Logo abaixo o título, em letras grandes em marrom claro, “CAROL”.
Sob a orla visualiza-se uma cadeira de rodas preta. Por cima dela, esboços da cadeira, com ênfase nas rodas, em salmão e branco. E, a partir da cadeira de rodas, se forma um caminho imaginário traçado em branco sobre as águas do lago. 
Logo abaixo dos esboços, têm-se o texto, em letras brancas e pequenas, “um filme de Mirela Kruel”.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

CONVITE: 1ª Conferência Livre da Saúde das Mulheres com Deficiência

O Grupo Inclusivass, formado por mulheres com deficiência, que já está no seu terceiro ano de atuação, realizará sua 1º Conferência Livre de Saúde das Mulheres com Deficiência. Fomos provocadas, especialmente, pela inexistência de políticas de saúde que deem conta das especificidades que permeiam a saúde das mulheres com deficiência e os serviços aos quais não temos acesso de forma integral. Buscamos desta forma trazer as demandas, para que possamos participar da I Conferência Municipal da Saúde das Mulheres, em Porto Alegre, e na sequencia, a Conferência Estadual e Nacional, a qual realizou chamada sem constar nos eixos a temática da mulher com deficiência.   Abordaremos, de acordo com o disposto no Regimento da conferência Municipal, os seguintes eixos:  III - Vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde das mulheres; IV - Políticas públicas para as mulheres e a participação social;  Descrição da imagem: Em um fundo branco, em letras roxas, Primeira Conferência da Saúde das Mulheres com Deficiência, ao lado logotipo das Inclusivass. Abaixo em letras pretas, Vulnerabilidade e equidade na vida e na saúde das mulheres, seguido de Politicas Públicas para as mulheres e participação social. Logo abaixo, Dia 13 de abril de dois mil e dezessete. Horário Dezessete horas e trinta minutos, Local Assembleia legislativa do Rio Grande do Sul, Sala Adão Preto. Abaixo estão os logotipos do Coletivo Feminino Plural, Instituto Avon, Fundo Social Elas, Conselho Municipal de Saúde e Eles por Elas. Na barra final da imagem, desenhos de diversas mulheres, todas de mãos dadas, em cores diversas, amputadas, obesa, na cadeira de rodas.   Grupo Incluisivass
Descrição da imagem acima #PraCegaVer e #PraCegoVer
Em um fundo branco, em letras roxas, Primeira Conferência da Saúde das Mulheres com Deficiência, ao lado logotipo das Inclusivass. Abaixo em letras pretas, Vulnerabilidade e equidade na vida e na saúde das mulheres, seguido de Políticas Públicas para as mulheres e participação social. Logo abaixo, Dia 13 de abril de dois mil e dezessete. Horário Dezessete horas e trinta minutos, Local Assembleia legislativa do Rio Grande do Sul, Sala Adão Preto. Abaixo estão os logotipos do Coletivo Feminino Plural,Instituto Avon, Fundo Social Elas, Conselho Municipal de Saúde e Eles por Elas. Na barra final da imagem, desenhos de diversas mulheres com deficiência. Final da descrição.

O Grupo Inclusivass, formado por mulheres com deficiência, que já está no seu terceiro ano de atuação, realizará sua 1º Conferência Livre de Saúde das Mulheres com Deficiência.
Fomos provocadas, especialmente, pela inexistência de políticas de saúde que dêem conta das especificidades que permeiam a saúde das mulheres com deficiência e os serviços aos quais não temos acesso de forma integral.
Buscamos desta forma trazer as demandas, para que possamos participar da I Conferência Municipal da Saúde das Mulheres, em Porto Alegre, e na sequencia, a Conferência Estadual e Nacional, a qual realizou chamada sem constar nos eixos a temática da mulher com deficiência.

Abordaremos, de acordo com o disposto no Regimento da conferência Municipal, os seguintes eixos:

III - Vulnerabilidades e equidade na vida e na saúde das mulheres;
IV - Políticas públicas para as mulheres e a participação social;

Dia:13/04/17
Local: Assembleia Legislativa do RS, sala Adão Pretto
hORÁRIO: 17:30

O evento contará com intérprete de LIBRAS e audiodescritora.
Apoio:
Mariana Alencastro, Cristina Kenne e Desenvlover


Grupo Inclusivass



terça-feira, 21 de março de 2017

Diálogo: O que é beleza, afinal?


#PraCegoVer: a foto mostra as participantes do diálogo ao fundo, atrás de uma mesa.. Em uma tela de computador, ao centro da mesa, em primeiro plano, a imagem de Fatine capturada por skype





O encontro que discutiu BELEZA em todas as suas formas foi realizado em 23 de março de 2017 na sede do Coletivo Feminino Plural e foi transmitido pela primeira vez ao vivo pela página do Grupo Inclusivass no Facebook. 



Reuniu as integrantes do Grupo Inclusivass, em Porto Alegre (RS), e Fatine Oliveira, do blog Disbuga, que conversou com o grupo via Skype, de Belo Horizonte (MG). 


Apesar das dificuldades de conexão, que fizeram com que o som e a imagem sumissem em alguns momentos, o vídeo é um registro importante de depoimentos sensíveis, emocionantes e muito verdadeiros sobre Beleza em sua diversidade e riqueza. 


A atividade contou com o apoio do Coletivo Feminino Plural e do Fundo Fale Sem Medo. O Diálogo "O que é Beleza, afinal?" integra o Projeto Todas São Todas.





#PraCegoVer Imagem em preto e branco das participantes da exposição Todas São Todas

"Tão múltiplas e, ao mesmo tempo, tão iguais a todas as outras na sua subjetividade. Maduras, profissionais, recolhidas, inseguras, curiosas, inquietas, destemidas, tímidas, livres, apaixonadas, mães, amantes".
(Texto da jornalista Lelei Teixeira na apresentação da exposição Todas São Todas) 



Confira abaixo o vídeo transmitido ao vivo pelo Facebook

Obs: problemas de conexão fizeram com que partes do Diálogo ficassem sem áudio ou com imagem prejudicada






terça-feira, 7 de março de 2017


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA CURSO BÁSICO DE LIBRAS
(Gratuito)




A comunicação é fundamental para a desenvolvimento da sociedade, mas poucos sabem se comunicar de outras formas além da fala. Pessoas surdas se comunicam através de sinais, mais conhecidos como Libras. A Língua Brasileira de Sinais foi reconhecida no Brasil como segundo idioma pela Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002.


A partir do próximo dia 27 de março de 2017, segunda-feira, o Grupo Inclusivass, em parceria com o Fundo Fale Sem Medo (do Instituto Avon/Fundo ELAS) e Coletivo Feminino Plural, vão promover um curso gratuito de Libras Básico.

O curso será realizado pela professora Elisa Guarese, mulher com deficiência auditiva, que é professora no Projeto Rumo Norte, ONG com sede em Porto Alegre (RS).

Serão 40 horas de aulas, duas vezes por semana, às segundas e quartas-feiras, das 18h às 21h, na sede do Coletivo Feminino Plural, localizado no Centro de Porto Alegre.

Quem quiser participar deve encaminhar um email para inclusivass@gmail.com anexando a ficha de inscrição preenchida.

Link da ficha de inscrição: https://drive.google.com/file/d/0B8-n-hHP3rbCQWZfaWhfMXFNQzQ/view?usp=sharing





CURSO BÁSICO DE LIBRAS

Início: 27/03/2017 (segunda-feira)
Dias: segundas e quartas-feiras, das 18h às 21h
Local: Andrade Neves, 159, sala 85, Centro de Porto Alegre (RS)
Inscrições e informações: inclusivass@gmail.com










domingo, 5 de março de 2017

Agenda das atividades de março-Grupo Inclusivass

Imagem com fundo branco e no centro a palavra: Agenda! do lado uma caneta que finaliza o pinco do ponto de exclamação..
No canto inferior direito a logo do Grupo Inclusivass


No mês de março o Grupo Inclusivas desenvolve sua agenda em cima das pautas levantada pelos movimentos de mulheres que se  unem para dar um basta aos retrocessos que vivemos atualmente.
Neste ano o dia 08/03 de março será marcado por uma grande greve feita pelas mulheres que querem juntas dizer que somos contras as todas perdas de direitos que estamos vivendo no Brasil pelo atual governo.
Uma greve internacional acontecerá e  que aqui no Brasil trara o tema da reforma da previdência que tinge diretamente as mulheres.
Nos mulheres com deficiência seremos as mais atingidas, teremos que trabalhar mais, com salários desiguais, cargos inferiores e sujeitas a desenvolver doenças crônicas.
Neste dia estaremos nas ruas, levando nossa bandeira, gritando pelo silêncio que nos aprisiona.

Esta agenda traz as atividades em que o grupo estará participante com suas parcerias.


Dia: 04/03/17
1º Diversidade Inclusiva Capão da Canoa
Horário: 09:00 às 17:00hs
Local:Capão da Canoa- Beira Mar- Largo Bar da Olda

Dia: 06 e 07 
Curso de extensão-Nem Tão Doce Lar
Horário: 14:00 às 17:30
Local: Faculdade Puc

Dia 08/03/17
Estaremos em vários lugares durante o dia mas participaremos do Seminário:
O Impacto da Reforma da Previdência na Vida das Mulheres Trabalhadoras
Local: Dante Barone- Assembleia Legislativa
Horário:10:00

Dia: 09/03/17
VI Seminário de Defesa e Garantia de Direitos-10 Nem Tão Doce Lar
Horário: Dia todo com várias programações.
Local: Faculdade Puc

Dia:10/03/17
Lançamento da Política de Equidade de Gênero, Raça e Diversidade
Horário: 16:00
Local: Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região - RS
Av. Praia de Belas, 1.432

Dia: 14/03/17
Conversações Afirmativas Acessibilidade
Horário: 10:00
Local:  Av. Paulo Gama, s/nº.-Sala 102 da Faculdade de Educação da UFRGS

Dia: 14/03/17
Filme"CAROL" na Escola Municipal  de 1º grau Chapéu do Sol
Horário: das 08:30 às 11:30
Local:  R. Gomercindo de Oliveira, s/n - Loteamento Chapaú do Sol, 

Dia:23/03/17
Diálogo: O que é beleza,afinal?
Horário: 18:00h
Local: Rua Andrades Neves, 159, conjunto 84,85-Porto Alegre


Dia: 27/0317
Curso de Libras Básico-Gratuito com material
Horário: das 18:00 às 21:00
Local: Andrades Neves, 159-conjunto 84,85
Inscrições abertas

Dia:30/03/17
Filme "CAROL" Posto de Saúde Chapéu do Sol
Horário: 14:00h
Local: Rua Gomercindo de Oliveira,75-Loteamento Chapéu do Sol



Dia:31/03/17
2º Seminário Nacional de Educação e Gênero
Mulheres e Meninas: Reflexões e Práticas Educativas Emancipatórias.

Horário:08:00 às 18:30 com certificados de 10 horas
Local:Plenário Otávio Rocha da Câmara Municipal de Porto Alegre – Av. Loureiro da Silva, 255 – Centro Histórico.
Inscrições pelo link: http://inscricoes.camarapoa.rs.gov.br/.





Mulheres com Deficiência e a Reforma da Previdência.


No Brasil, as mulheres com deficiência somam mais de 25 milhões (IBGE, 2010), residentes no campo e na cidade, sendo que a maioria habita e trabalha nas zonas urbanas.

A Proposta de Emenda Constitucional nº 287 (PEC da Previdência) suprime o direito concedido às mulheres de se aposentarem com cinco anos a menos do que os homens, em todos os casos, tanto na idade quanto no tempo de contribuição. Esta proposta não está considerando as especificidades das mulheres, muito menos da mulher com deficiência, pois estas são as mais desfavorecidas no mercado de trabalho, possuindo maiores dificuldades nos acessos aos serviços públicos e privados e nas mais diversas áreas: saúde, educação, qualificação profissional, etc.
Segundo estudos científicos, as mulheres trabalham mais (54,7 horas semanais) que os homens (46,7 horas semanais), 8 h/semana, que somam 73 dias a mais, em um ano, e até os 65 anos, a mulher trabalha 9 anos a mais. A reforma da previdência desconsidera completamente o dia a dia de uma mulher com deficiência que cria seus filhos, estuda e trabalha 44 horas semanais no ambiente de trabalho e tem de continuar sua jornada em casa, diante dos afazeres domésticos, cumprindo, assim, uma dupla jornada.
Enfrentamos inúmeras barreiras sociais que vulnerabilizam a mulher com deficiência. Essa desigualdade social não pode ser ignorada!
A eliminação da diferença de cinco anos de idade para a aposentadoria da trabalhadora rural, igualando as condições com as da trabalhadora urbana é outra perversidade da PEC287. A mesma ainda propõe a proibição em receber aposentadoria e pensão conjuntamente, tendo a mulher com deficiência optar pela mais “vantajosa”, quando a percepção das duas rendas é imprescindível para a manutenção da qualidade de vida, até então garantida pelo recebimento dessas rendas.

A aposentadoria, com esta reforma, se torna “parcial” e teria patamar inicial de 76%; mas, para alcançar a “aposentadoria integral” (100% da Remuneração), será preciso combinar 65 anos de idade e 49 anos de contribuição. Todos estes impactos serão mais pesados sobre a mulher com deficiência, e pior para àquelas de baixa renda, como as trabalhadoras rurais que dependem da aposentadoria com a pensão deixada pelos seus cônjuges para continuar mantendo a família (no máximo um salário mínimo cada).

Observa-se que a reforma da previdência acaba, praticamente, com as atuais garantias da aposentadoria especial da pessoa com deficiência, garantida pela LC 142/2013. Entre outras medidas, a atual aposentadoria especial garante às mulheres com deficiência sua percepção aos 20 (vinte) anos de contribuição, sem o critério de idade mínima (mulheres com deficiência de nível grave), ou por idade, aos 55 anos desde que com a contribuição de 15 anos. Mas, com a PEC287, mesmo fazendo jus ao direito, só poderá se aposentar aos 55 anos de idade, e com 20 de contribuição.

Outro caso importante para a mulher com deficiência é o Benefício de Prestação Continuada (BPC) que hoje beneficia 4 milhões de famílias (16 milhões de pessoas), tanto para mulheres com deficiência como para mulheres idosas, com mais de 65 anos, garantindo renda mensal de um salário mínimo. Na Reforma da Previdência, a idade mínima da mulher com deficiência para receber o BPC, que não possui os 15 anos de contribuição, sobe para 70 anos, lembrando que este benefício é para as idosos e pessoas com deficiência socialmente mais vulneráveis (renda familiar per capita de até ¼ do salário mínimo). Com isso, idosas com deficiência que aos 65 anos não conseguirem se aposentar (por possuírem menos de 25 anos de contribuição) precisarão sobreviver até os 70 anos sem qualquer benefício que lhes garanta renda justa. Além disso todos os benefícios serão desvinculados do salário mínimo.

Manter estas diferenças de idades para a aposentadoria é uma questão de justiça social.
A Constituição Federal de 1988, no capítulo II, Art. 194, que trata da Seguridade Social, assegura os direitos de acesso à saúde, à previdência e à assistência social. A falta destas políticas atinge diretamente as mulheres com deficiência que estão mais vulneráveis ao não ter acessos a estes serviços.
Por tudo isso, se essa reforma for aprovada, nós mulheres com deficiência sofreremos um retrocesso sem precedentes dos nossos direitos, e, embora pagantes da contribuição previdenciária por todo o tempo de trabalho, perderemos nosso dinheiro também, pois dificilmente vamos poder gozar de uma vida digna com uma aposentadoria justa.


Escrito:
Carolina Santos
Ewelin Monica Parturi Navarro Canizares
Liza Cenci

Grupo Inclusivass


Referências
1 - “Previdência: Reformar par Excluir?”, DIEESE, ANFIP e Fundação ANFIP de Estudos da Seguridade Social e Tributário, 2017, disponível em:http://plataformapoliticasocial.com.br/…/Documento_Completo…, acessado em 22/02/2017.
2 - Entrevista do economista Guilherme Costa Delgado feita por Débora Melo da Revista Cata Capital em 04/02/2016, disponível em :http://www.ihu.unisinos.br/…/551430-reforma-da-previdencia-…, acessado em 22/02/2017.
3 - Quadro comparativo comentado da PEC 287/2016, sobre a reforma da previdência, com a legislação atual, disponível em: http://www.anfip.org.br/…/d57538e299306234589027f6461aefcb.…, acessado em 22/02/2017.
4 - “Reforma da Previdência será alterada por pressão popular, diz diretor do Diap”, entrevista do Diretor do Departamento Intersidincal de Assessoria Parlamentar, Antônio Augusto de Queiróz para o Portal Congresso em Foco, em 20/02/2017, disponível em:http://congressoemfoco.uol.com.br/…/reforma-da-previdencia…/; acessado em 22/02/2017.
5 - “Uma população Adoecida: os efeitos da PEC 287 para a saúde do trabalhador”, entrevista da médica Maria Moeno ao Portal Previdência Mitos e Verdades”, disponível em: http://previdenciabrasil.info/uma-populacao-adoecida-os-ef…/, acessado em 22/02/2017
6 - “NOTA PÚBLICA CONTRA A REDAÇÃO DA PEC 287/16” do Conselho Federal do Instituto dos Advogados Previdenciários - IAPE, disponível em:http://site.iape.com.br/wp-conte…/uploads/…/01/NOTA_IAPE.pdf, acesssado em 22/02/2017
7 - “Considerações sobre a reforma da previdência - PEC 287/2016”, Fernanda Sales do Nascimento, 12/2016, Portal JUS.COM.BR, disponível em: https://jus.com.br/…/consideracoes-sobre-a-reforma-da-previ…, acessado em 22/02/2017.
8- Constituição Federal de 1988: